Estudo da taxa de corrosão de armaduras em betões com ACBC

Translated title of the contribution: Study of corrosion rate in reinforced concrete with SBAS

Fernando Do Couto Rosa Almeida, A Sales, J.P. Moretti, P.C. Mendes, L.H. Mascaro, Agnieszka Klemm

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

1 Downloads (Pure)

Abstract

Este trabalho buscou avaliar a taxa de corrosão de armaduras em betões produzidos com a ACBC (areia de cinza do bagaço da cana-de-açúcar) em substituição parcial ao agregado miúdo (areia natural). Foram moldados corpos de prova de betão armado, com traço de 1,00:2,01:2,86, considerando substituição de 0%, 30% e 50% da areia natural pela ACBC. As amostras foram submetidas a ensaios acelerados de corrosão por ação de cloretos, por meio de ciclos alternados de secagem e umedecimento em solução salina 3,5% NaCl. Testes de resistência à compressão (antes e após os ciclos de envelhecimento) e de penetração de cloretos foram realizados. Durante os ciclos de envelhecimento, as amostras foram monitoradas por meio de potencial de circuito aberto até que as armaduras se encontrassem em um estado ativo de corrosão. Ao final de 24 semanas (ciclos), a taxa de corrosão das armaduras foi verificada por meio de curvas de polarização potenciodinâmica. Os resultados indicaram que a ACBC aumenta a resistência à compressão, diminui a penetração de cloretos e retarda a iniciação do processo corrosivo. Adicionalmente, betões com até 30% de substituição da areia natural pela ACBC podem manter o nível de propagação da corrosão similar daquele verificado para uma amostra de referência.
Original languageOther
Title of host publicationII Encontro Luso-Brasileiro de Degradação de Estruturas de Betão
Place of PublicationLisbon
PublisherLNEC
ISBN (Print)9789724922867
Publication statusPublished - 29 Sep 2016

Keywords

  • corrosion rate
  • reinforced concrete
  • SBAS

Cite this

Almeida, F. D. C. R., Sales, A., Moretti, J. P., Mendes, P. C., Mascaro, L. H., & Klemm, A. (2016). Estudo da taxa de corrosão de armaduras em betões com ACBC. In II Encontro Luso-Brasileiro de Degradação de Estruturas de Betão Lisbon: LNEC.
Almeida, Fernando Do Couto Rosa ; Sales, A ; Moretti, J.P. ; Mendes, P.C. ; Mascaro, L.H. ; Klemm, Agnieszka. / Estudo da taxa de corrosão de armaduras em betões com ACBC. II Encontro Luso-Brasileiro de Degradação de Estruturas de Betão. Lisbon : LNEC, 2016.
@inproceedings{0592942c2e874190a7c2add50b3160ed,
title = "Estudo da taxa de corros{\~a}o de armaduras em bet{\~o}es com ACBC",
abstract = "Este trabalho buscou avaliar a taxa de corros{\~a}o de armaduras em bet{\~o}es produzidos com a ACBC (areia de cinza do baga{\cc}o da cana-de-a{\cc}{\'u}car) em substitui{\cc}{\~a}o parcial ao agregado mi{\'u}do (areia natural). Foram moldados corpos de prova de bet{\~a}o armado, com tra{\cc}o de 1,00:2,01:2,86, considerando substitui{\cc}{\~a}o de 0{\%}, 30{\%} e 50{\%} da areia natural pela ACBC. As amostras foram submetidas a ensaios acelerados de corros{\~a}o por a{\cc}{\~a}o de cloretos, por meio de ciclos alternados de secagem e umedecimento em solu{\cc}{\~a}o salina 3,5{\%} NaCl. Testes de resist{\^e}ncia {\`a} compress{\~a}o (antes e ap{\'o}s os ciclos de envelhecimento) e de penetra{\cc}{\~a}o de cloretos foram realizados. Durante os ciclos de envelhecimento, as amostras foram monitoradas por meio de potencial de circuito aberto at{\'e} que as armaduras se encontrassem em um estado ativo de corros{\~a}o. Ao final de 24 semanas (ciclos), a taxa de corros{\~a}o das armaduras foi verificada por meio de curvas de polariza{\cc}{\~a}o potenciodin{\^a}mica. Os resultados indicaram que a ACBC aumenta a resist{\^e}ncia {\`a} compress{\~a}o, diminui a penetra{\cc}{\~a}o de cloretos e retarda a inicia{\cc}{\~a}o do processo corrosivo. Adicionalmente, bet{\~o}es com at{\'e} 30{\%} de substitui{\cc}{\~a}o da areia natural pela ACBC podem manter o n{\'i}vel de propaga{\cc}{\~a}o da corros{\~a}o similar daquele verificado para uma amostra de refer{\^e}ncia.",
keywords = "corrosion rate, reinforced concrete, SBAS",
author = "Almeida, {Fernando Do Couto Rosa} and A Sales and J.P. Moretti and P.C. Mendes and L.H. Mascaro and Agnieszka Klemm",
note = "No initial email to author. Contacted author re requirements if in REF scope. ET 12/8/19 ^Acceptance in SAN Pub date: used last date of conference - ET AAM: unknown publisher policy (also no contact found to email re paper in repository) made file open. ET 10/9/19",
year = "2016",
month = "9",
day = "29",
language = "Other",
isbn = "9789724922867",
booktitle = "II Encontro Luso-Brasileiro de Degrada{\cc}{\~a}o de Estruturas de Bet{\~a}o",
publisher = "LNEC",

}

Almeida, FDCR, Sales, A, Moretti, JP, Mendes, PC, Mascaro, LH & Klemm, A 2016, Estudo da taxa de corrosão de armaduras em betões com ACBC. in II Encontro Luso-Brasileiro de Degradação de Estruturas de Betão. LNEC, Lisbon.

Estudo da taxa de corrosão de armaduras em betões com ACBC. / Almeida, Fernando Do Couto Rosa ; Sales, A; Moretti, J.P.; Mendes, P.C.; Mascaro, L.H.; Klemm, Agnieszka.

II Encontro Luso-Brasileiro de Degradação de Estruturas de Betão. Lisbon : LNEC, 2016.

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingConference contribution

TY - GEN

T1 - Estudo da taxa de corrosão de armaduras em betões com ACBC

AU - Almeida, Fernando Do Couto Rosa

AU - Sales, A

AU - Moretti, J.P.

AU - Mendes, P.C.

AU - Mascaro, L.H.

AU - Klemm, Agnieszka

N1 - No initial email to author. Contacted author re requirements if in REF scope. ET 12/8/19 ^Acceptance in SAN Pub date: used last date of conference - ET AAM: unknown publisher policy (also no contact found to email re paper in repository) made file open. ET 10/9/19

PY - 2016/9/29

Y1 - 2016/9/29

N2 - Este trabalho buscou avaliar a taxa de corrosão de armaduras em betões produzidos com a ACBC (areia de cinza do bagaço da cana-de-açúcar) em substituição parcial ao agregado miúdo (areia natural). Foram moldados corpos de prova de betão armado, com traço de 1,00:2,01:2,86, considerando substituição de 0%, 30% e 50% da areia natural pela ACBC. As amostras foram submetidas a ensaios acelerados de corrosão por ação de cloretos, por meio de ciclos alternados de secagem e umedecimento em solução salina 3,5% NaCl. Testes de resistência à compressão (antes e após os ciclos de envelhecimento) e de penetração de cloretos foram realizados. Durante os ciclos de envelhecimento, as amostras foram monitoradas por meio de potencial de circuito aberto até que as armaduras se encontrassem em um estado ativo de corrosão. Ao final de 24 semanas (ciclos), a taxa de corrosão das armaduras foi verificada por meio de curvas de polarização potenciodinâmica. Os resultados indicaram que a ACBC aumenta a resistência à compressão, diminui a penetração de cloretos e retarda a iniciação do processo corrosivo. Adicionalmente, betões com até 30% de substituição da areia natural pela ACBC podem manter o nível de propagação da corrosão similar daquele verificado para uma amostra de referência.

AB - Este trabalho buscou avaliar a taxa de corrosão de armaduras em betões produzidos com a ACBC (areia de cinza do bagaço da cana-de-açúcar) em substituição parcial ao agregado miúdo (areia natural). Foram moldados corpos de prova de betão armado, com traço de 1,00:2,01:2,86, considerando substituição de 0%, 30% e 50% da areia natural pela ACBC. As amostras foram submetidas a ensaios acelerados de corrosão por ação de cloretos, por meio de ciclos alternados de secagem e umedecimento em solução salina 3,5% NaCl. Testes de resistência à compressão (antes e após os ciclos de envelhecimento) e de penetração de cloretos foram realizados. Durante os ciclos de envelhecimento, as amostras foram monitoradas por meio de potencial de circuito aberto até que as armaduras se encontrassem em um estado ativo de corrosão. Ao final de 24 semanas (ciclos), a taxa de corrosão das armaduras foi verificada por meio de curvas de polarização potenciodinâmica. Os resultados indicaram que a ACBC aumenta a resistência à compressão, diminui a penetração de cloretos e retarda a iniciação do processo corrosivo. Adicionalmente, betões com até 30% de substituição da areia natural pela ACBC podem manter o nível de propagação da corrosão similar daquele verificado para uma amostra de referência.

KW - corrosion rate

KW - reinforced concrete

KW - SBAS

UR - http://degrada2016.lnec.pt

M3 - Conference contribution

SN - 9789724922867

BT - II Encontro Luso-Brasileiro de Degradação de Estruturas de Betão

PB - LNEC

CY - Lisbon

ER -

Almeida FDCR, Sales A, Moretti JP, Mendes PC, Mascaro LH, Klemm A. Estudo da taxa de corrosão de armaduras em betões com ACBC. In II Encontro Luso-Brasileiro de Degradação de Estruturas de Betão. Lisbon: LNEC. 2016